quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

CARREIRA - CIÊNCIAS CONTÁBEIS E O AUMENTO DA VALORIZAÇÃO DESTE PROFISSIONAL.

Boa Tarde,


É pessoal, gosto de postar matérias que falam que nossa profissão está valorizada, que houve um aumento na busca pelo profissional porque isso mostra a importância da Ciências Contábeis no mundo corporativo.
Este tipo de matéria também ajuda o aluno decidir se realmente tem o perfil exigido para a profissão.
CONFIRA ESTA ENTREVISTA :


FONTE : SITE LIGADO NA FACUL




CIÊNCIAS CONTÁBEIS



A carreira em Ciências Contábeis se faz necessária nas empresas e encara uma nova realidade: o mundo globalizado dos negócios. A boa notícia é que o setor está aquecido e a demanda fez o salário valorizar em 20%.

Um estudo da consultoria Robert Half aponta que a atual exigência deste profissional vai além do perfil técnico. É necessário ter visão estratégica, habilidades como integração e foco em resultados. Dessa forma, a graduação torna-se fundamental. Para conhecer as especificidades do curso, tendências do mercado e dicas para escolher uma facul na área, conversamos com Geni Vanzo, coordenadora do curso de Ciências Contábeis na Anhembi Morumbi.

Ligado na Facul - Como está estruturado o curso de graduação em ciências contábeis?


Geni Vanzo - O curso tem duração de quatro anos e está dividido em oito semestres. Na Anhembi, o curso possui disciplinas básicas, teóricas e práticas, que fazem parte do currículo, o aluno precisa elaborar um TCC e o estágio é obrigatório, mas isso pode variar de acordo com a instituição. O curso é voltado à aplicação das técnicas contábeis e possui bastante prática, pois temos uma preocupação em preparar o profissional para as várias linhas de atuação que requerem cuidados específicos.

LNF - Quais são as áreas de atuação profissional?

GV - O profissional pode atuar em auditoria, controladoria, escritórios de contabilidade, no setor público como fiscal, como contador, perito contábil, perito nos tribunais de arbitragem, empresário contábil, pode também prestar consultoria empresarial e tributária. Há um leque de opções.

LNF - Muitos contadores atuam no mercado, mesmo sem possuir formação superior na área. Como a senhora avalia esse cenário e qual a importância de fazer o curso de graduação?

GV
- O curso superior é importantíssimo, porque a tendência é que a figura do técnico seja extinta. A partir de 2014, não haverá mais técnicos em contabilidade. Além disso, o mercado de atuação para o profissional técnico é mais restrito. Eles só podem atuar em empresas limitadas, geralmente pequenas e médias. Para a grande maioria dos técnicos, falta alicerce teórico, como o conhecimento das legislações internacionais adotadas pelo Brasil recentemente. Suporte este, que é fornecido pelo curso superior.


LNF - Qual o perfil profissional desta área?

GV - O profissional tem que ser acima de tudo organizado, porque estará sempre trabalhando com prazos e deve saber trabalhar pontualmente. É preciso ter uma cultura geral muito boa, conhecer a economia mundial e qual o perfil das pessoas com quem o cliente transaciona. O mundo dos negócios é globalizado, por isso o profissional deve estar aberto a todas as informações e ter vontade de estudar, já que coisas novas são incorporadas o tempo todo.

LNF - Qual avaliação a senhora faz do mercado?

GV - O mercado está muito promissor, justamente pelas normas internacionais de contabilidade instituídas em 2007 e adotadas pelo Brasil. São poucos os profissionais que já dominam, a grande maioria está se atualizando agora. Há portanto, uma carência de profissionais atualizados e isso abre o leque para quem está iniciando.

LNF - Como o jovem pode ingressar no mercado de trabalho ainda na faculdade?

GV - Nesse mercado, fazer estágio é imprescindível. Toda empresa precisa de profissionais contábeis. Geralmente, o estudante não inicia como contador, mas como auxiliar, analista ou subcontador. Para ser contador é preciso prestar um exame depois de formado e obter o registro, é semelhante à OAB para os recém-formados em direito. Há também possibilidades nas outras áreas. Em auditoria, por exemplo, ocorrem muitos programas de trainee.

LNF - Quais devem ser os critérios para escolher uma instituição de ensino na área?

GV
- Antes de qualquer coisa, se o curso for antigo, o aluno deve ver a avaliação desta faculdade nos rankings do MEC, como está a pontuação. Se o curso for novo, é importante conferir se já foi reconhecido na instituição e se ela tem um nível geral bom nas outras áreas de avaliação, com notas pelo menos acima de 3.

LNF
- Quais conselhos a senhora daria ao jovem que pretende ingressar nessa área?

GV - Esse jovem deve procurar conhecer todas as áreas em que poderá atuar, para saber se elas lhe atraem. A profissão é gratificante, bem remunerada e não há risco de ficar sem trabalho, mas exige bastante dedicação e constante atualização. Por isso, ele precisa avaliar se realmente é isso o que quer para o futuro e se é isso que combina com o seu perfil.



Nenhum comentário: